Weather

07 maio 2017

DIA DA MÃE!

Hoje é o DIA DA MÃE!

As mães são PRECIOSAS!

VIVAM AS MÃES!

Em homenagem às mães, transcrevemos (um extracto) dos versos de Almeida Garrett, intitulados:

O AMOR MATERNAL

      Of nature´s gifts thou may´st with lillies boast,
      And with the half blown rose.
                                                      SHAKESPEARE.

Que doce que é ser mãe! - Que meigo quadro
É ver a esposa ao lado do consorte
Nos braços lindos embalando o filho,
        Seu único desvelo,
Que largou de cansado o níveo seio
E foi suavemente adormecendo
No amplexo maternal.- Inda invejoso
        Não encobriu de todo
O casto véu segredos pudibundos
Só do esposo sabidos: enlevada
Nas doçuras de mãe, toda prazeres,
       Só para o filho atenta.
Vede-a sorrindo ao tenro inocentinho,
Como se espelha nas mimosas faces,
E colhe nas feições, uma por uma,
       O transunto do esposo.
... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ... ...




(imagem: foto do signatário do Óleo sobre madeira (1948) de ALMADA NEGREIROS, intitulado "MATERNIDADE", em EXPOSIÇÃO na FUNDAÇÃO C. GULBENKIAN)

05 maio 2017

DIA DA LÍNGUA PORTUGUESA E DA CULTURA NA CPLP

Hoje é o DIA DA LÍNGUA PORTUGUESA E DA CULTURA NA CPLP – Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Esta iniciativa remonta a 2009, em virtude de uma resolução da XIV Reunião Ordinária do Conselho de Ministros da CPLP realizada em 20 de julho de 2009 em Cabo Verde.

25 abril 2017

25 DE ABRIL!

Em 25 de abril de 1974 o povo português recuperou a DEMOCRACIA e a LIBERDADE.

É imperioso reconhecer que passou a confrontar-se com uma crescente CORRUPÇÃO e com a multiplicação daqueles que ENRIQUECEM SEM CAUSA.

Sem se questionar a DEMOCRACIA e a LIBERDADE, é forçoso erradicar a CORRUPÇÃO e o ENRIQUECIMENTO SEM CAUSA.


(imagem: reprodução de fls.  137 do livro "DE AUTOCOLANTES AO PEITO", de Eduardo Jorge Madureira Lopes) 

02 abril 2017

DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL


Comemora-se hoje o DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL.

Trata-se de uma iniciativa do Conselho Internacional sobre Literatura para os Jovens (IBBY), representada em Portugal pela Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil (APPLIJ).

Este dia foi criado em 2 de abril de 1967, data em que se assinalava mais um aniversário de HANS CHRISTIAN ANDERSEN, notável escritor de histórias para crianças.

Através do site da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), o nosso blogue tomou conhecimento que, para realçar esta data, o ilustrador JOÃO FAZENDA, vencedor do Prémio Nacional de Ilustração de 2016, foi convidado pela DGLAB para criar a imagem do cartaz alusivo ao evento.

Por sua vez, o IBBY escolheu a Rússia para elaborar a mensagem respetiva, que consiste num texto do escritor SERGEY MAKHOTIN, e num cartaz do ilustrador MIKHAIL FEDEROV.

O nosso blogue, no convencimento da importância da divulgação destes documentos, procede à sua reprodução.

Nunca é demais enfatizar a importância do livro infantil para a formação educativa de crianças e, também, dos adultos.

A leitura de um livro infantil constitui um extraordinário deleite para todos.




VAMOS CRESCER COM O LIVRO!
Na minha primeira infância, gostava de construir casas com pequenas peças e
toda a espécie de brinquedos. Usava muitas vezes um livro ilustrado a fazer de
telhado. Nos meus sonhos, entrava na casa, deitava-me na cama feita com uma
caixa de fósforos e olhava para cima, para as nuvens ou para as estrelas do céu.
A escolha dependia da ilustração que preferia na altura.
Por intuição, segui as regras de vida das crianças que procuram criar um
ambiente seguro e confortável à sua volta. E o livro infantil ajudou-me muito a
atingir este objetivo.
Depois cresci, aprendi a ler, e o livro, na minha imaginação, começou a
assemelhar-se mais a uma borboleta, ou mesmo a um pássaro, do que ao
telhado de uma casa. As páginas do livro pareciam asas que batiam. Era como
se o livro, deitado no peitoril, quisesse sair pela janela aberta em direção ao
desconhecido. Segurava-o com as mãos e começava a lê-lo, e o livro ia ficando
cada vez mais calmo. Então eu próprio voava para outras terras e novos mundos,
alargando o espaço da minha imaginação.
Que alegria ter na mão um novo livro! De início, nunca sabemos sobre o que é
que ele fala. Resistimos à tentação de saltar para a última página. E como o
livro cheira bem! É impossível distribuirmos o seu cheiro pelos vários elementos
que o compõem: tinta, cola… não, é impossível. Existe um cheiro particular no
livro, um cheiro único e excitante. As folhas encontram-se coladas, como se o
livro não tivesse ainda acordado. E ele só acorda quando começamos a lê-lo.
Continuamos a crescer, e o mundo à nossa volta torna-se mais complicado.
Enfrentamos questões a que nem os adultos sabem responder. No entanto, é
importante partilhar dúvidas e segredos com alguém. E aí o livro volta a ajudarnos.
Muitos de nós terão um dia pensado: este livro fala sobre mim! E a
personagem favorita parece ser igual a nós. Tem problemas semelhantes, e
resolve-os com dignidade. E há outra personagem que não é igual a ti, mas tu
gostarias de seguir o seu exemplo, de ser tão corajoso e desembaraçado quanto
ela.
Quando há rapazes e raparigas que dizem “Não gosto de ler!”, isso faz-me rir.
Não acredito neles. Comem gelados, jogam jogos e veem filmes interessantes.
Dito de outro modo, gostam de se divertir! É que a leitura não serve apenas
para desenvolver sentimentos e personalidades, ela é, acima de tudo, um
prazer.
É sobretudo com essa missão que os autores de livros para a infância escrevem
os seus livros.
Sergey Makhotin
(tradução de Mª Carlos Loureiro a partir da versão inglesa de Yana Shvedova)








16 março 2017

O BARÍTONO CHRISTIAN GERHAHER NA GULBENKIAN!



No final das tardes de amanhã, 17, e de sábado, 18, têm início, no Grande Auditório da Gulbenkian, dois concertos que, como prevêem os melómanos, irão ocupar lugar cimeiro na manifestação musical de 2017, em Lisboa.

Apresentar-se-ão, em ambos os concertos, a orquestra GUSTAV MAHLER JUGENDORCHESTER (GMJO), dirigida pelo maestro de nacionalidade inglesa DANIEL HARDING, e com a participação do cantor-barítono CHRISTIAN GERHAHER.

O inestimável nível da conhecida prestação destes intervenientes, mais do que justifica uma “repetição do concerto”, apesar de se constatar a circunstância extraordinária da respectiva actuação se fundar em obras e distintos compositores, a saber:

- No dia 17: ALBAN BERG – Altenberg Lieder, op. 4;
                   FRANZ SCHUBERT – Duas árias da ópera Alfonso und Estrella, D. 732;
                   ANTON BRUCKNER - Sinfonia nº 5, em Si bemol maior;

- No dia 18: ARNOLD SCHONBERG – Cinco peças para Orquestra, op. 16;
                   HECTOR BERLIOZ – Les nuits d`été;
                   ROBERT SCHUMANN - Sinfonia nº 2, em Dó maior, op. 61.

Com efeito, sem obviamente se questionar a incontornável importância dos mencionados compositores e obras, não se pode olvidar que:

  • A Orquestra, fundada em Viena em 1986/87 e constituída por jovens até aos 26 anos, goza de grande prestígio, razão por que, anualmente, nela pretendem ingressar cerca de 2000 candidatos; é objecto de frequentes convites para actuação, nomeadamente da Gulbenkian, onde se apresenta anualmente desde 2010 e foi nomeada embaixadora da UNICEF-Áustria;
  • O maestro tem dirigido inúmeras Orquestras na Europa e nos Estados Unidos; é Director Musical da Orquestra de Paris; dirigiu a Orquestra Sinfónica de Londres na Temporada de Música da Gulbenkian, em 2007; possui extensa discografia;
  • O barítono é um premiado cantor, com intervenção num significativo número de importantes Concertos e Óperas.








21 fevereiro 2017

DIA INTERNACIONAL DA LÍNGUA MATERNA

Hoje, dia 21 de fevereiro, é o DIA INTERNACIONAL DA LÍNGUA MATERNA.

Esta efeméride foi proclamada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - UNESCO em 1999, e esta iniciativa pretende proteger todas as línguas faladas no Mundo.

A nossa língua é o Português (cf. artigo 11º, n.º 3 da Constituição da República Portuguesa), falada por mais de 270 milhões de seres humanos dos nove (9) países que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP): ANGOLA, BRASIL, CABO VERDE, GUINÉ, GUINÉ-EQUATORIAL, MOÇAMBIQUE, PORTUGAL, SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE, TIMOR-LESTE.

Importa aqui se transcrever, como se transcrevem, as Mensagens de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, de Michaëlle Jean, Secretária-Geral da Francofonia (OIF), de Rebeca Grynspan, Secretária Geral Iberoamericana (SEGIB) e de Maria do Carmo Silveira, Secretária Executiva da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), por ocasião deste dia, respetivamente:

Na ocasião do Dia Internacional da Língua Materna, a UNESCO reafirma seu compromisso sincero com a diversidade linguística e o multilinguismo. As línguas expressam que nós somos, elas estruturam nossos pensamentos e nossas identidades. Não pode existir diálogo autêntico ou cooperação internacional efetiva sem o respeito pela diversidade linguística, que oferece uma compreensão verdadeira de cada cultura. O acesso à diversidade das línguas pode despertar a curiosidade e o entendimento mútuo entre os povos. É por isso que aprender línguas é ao mesmo tempo uma promessa de paz, inovação e criatividade.

O Dia Internacional da Língua Materna, que este ano é dedicado à educação multilíngue, também é uma oportunidade de mobilização para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, em especial o ODS 4, de garantir uma educação inclusiva e de qualidade para todos e promover a aprendizagem ao longo da vida. Educação e informação na língua materna são absolutamente essenciais para aperfeiçoar a aprendizagem e desenvolver a confiança e a autoestima, que estão entre as forças mais poderosas do desenvolvimento.

A língua está na nossa essência humana. Culturas, ideias, sentimentos e até mesmo desejos por um mundo melhor chegam até nós, em primeiro lugar e sobretudo, em uma língua específica. As línguas transmitem valores e visões de mundo que enriquecem a humanidade. Valorizar as línguas abre uma ampla gama de futuros possíveis e aumenta a energia necessária para alcançá-los. Na ocasião deste Dia, eu lanço um apelo para que o potencial da educação multilíngue seja reconhecido em todas as partes, nos sistemas educacionais e administrativos, nas expressões culturais e na mídia, no ciberespaço e no comércio. Quanto melhor for o nosso entendimento sobre como valorizar as línguas, mais ferramentas teremos para construir um futuro de dignidade para todos.

***

Mensagem dos Três Espaços Linguísticos por ocasião do Dia Internacional da Língua Materna
21 de fevereiro de 2017

O tema da edição de 2017 do Dia Internacional da Língua Materna « Um futuro sustentável através da educação multilingue » enfatiza o vínculo indissociável entre a educação e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que pretende abranger a comunidade internacional que, a partir de um princípio e de uma mesma vontade, assume compromisso de tudo fazer para "garantir uma educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos " (Objetivo 4).

As três organizações que representamos, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), a Secretaria-Geral Ibero-americana (SEGIB) e a Organização Internacional da Francofonia (OIF), estão a trabalhar arduamente para atingir este objetivo. Acreditamos que a educação é o motor da evolução das sociedades, é um suporte fundamental na luta contra a discriminação, especialmente as que ainda afetam as mulheres e meninas em muitos países, contra a exclusão, contra a pobreza: uma educação de qualidade, acessível a todos e para todos, promove o crescimento inclusivo e sustentável.

É nossa convicção, e tudo aponta neste sentido, que a educação na língua materna garante melhor aquisição de competências básicas em leitura, na escrita e cálculos matemáticos. Congregamos esforços na defesa ao direito a uma educação multilingue de qualidade, baseada no ensino na língua materna.

Juntos, Francófonos, Hispanófonos e Lusófonos, firmemente comprometidos com o reconhecimento da diversidade dos povos, das suas culturas, dos seus traços de civilização e da sua história, defendemos a uma só voz a educação multilingue que promove o pluralismo e o respeito pelo outro, pela sua identidade e o valor do seu património linguístico. Uma educação de qualidade, primeiramente na língua materna, é uma garantia de equidade e inclusão que, além de
facilitar o acesso aos conhecimentos básicos, promete um futuro enriquecido com o que define a nossa singularidade.

As línguas locais são transmissores de tradições e marcadores de experiências, elas ditam os percursos, são portadoras do conhecimento, expressam nuances e sensibilidades características de um determinado território. Cada idioma participa na construção de uma sociedade. É esse pluralismo dos povos e as suas realidades que nos relembram e nos fazem compreender a riqueza que o multilinguismo acrescenta à humanidade.

Encorajamos iniciativas de valorização da língua materna, como base dos sistemas educativos, o mais precocemente possível. Diferentes Estados-Membros das nossas organizações têm cumprido com êxito o desafio da valorização das línguas nacionais, enquanto língua das primeiras aprendizagens, trabalhando em conjunto com as demais línguas de ensino; encorajamos, igualmente e em simultâneo, a aprendizagem de línguas estrangeiras, cientes de que o monolinguismo representará o analfabetismo do século XXI.

Que este Dia Internacional da Língua Materna permita conferir um novo impulso na promoção da diversidade linguística no mundo!



Michaëlle Jean, Secretária-Geral da Francofonia (OIF)
Rebeca Grynspan, Secretária Geral Iberoamericana (SEGIB)
Maria do Carmo Silveira, Secretária Executiva da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)


(imagem de unescoportugal.mne.pt)

05 janeiro 2017

«Selos simples» E O SIMPLEX+2016

O Decreto-Lei n.º 1/2017, hoje publicado na Série I do Diário da República, dá cumprimento à medida denominada «Selos simples» do Programa SIMPLEX+2016.
Com efeito, o presente diploma legal altera o Estatuto do Selo Postal, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 360/85, de 2 de Setembro, que no seu artigo 4.º previa que a atribuição do valor postal e a determinação da entrada em circulação das emissões, assim como a fixação das características das formas estampilhadas seriam efectivadas por meio de portaria, assinada pelo ministro da tutela.
Por via da alteração agora introduzida, com o intuito de facilitar e simplificar a vida dos cidadãos e das empresas, o governo abdica daquela actuação, cometendo-a directamente aos CTT - Correios de Portugal, S. A. que apenas terá de o publicitar no seu sítio da Internet.
(imagem de: imtt.pt)